Tour de 2 dias em Silves - entre as montanhas e a costa

1º Dia

Saímos de Albufeira e iniciamos o nosso Tour de 2 dias em Silves, 11º dia do nosso Tour no Algarve. Silves é uma cidade medieval situada entre as montanhas e a costa do Algarve.

Saí de Paderne no sábado de manhã e dirigi-me a Silves. A primeira coisa que vi quando cheguei foi o Castelo, uma impressionante fortaleza construída com muros de pedra vermelha bem no cimo de uma colina com vista para a cidade. O Castelo de Silves foi estabelecido pelos mouros e é considerado o castelo mais bem preservado do Algarve.

Dirigi-me ao Castelo, passando por uma série de ruas estreitas, alinhadas com casas e cafés locais, até que finalmente cheguei ao topo. A partir daqui, pude ver o labirinto de telhados de terracota em direção ao rio e à Ponte Romana branca, sobre as suas calmas águas.

Bem ao lado do castelo, está a Catedral de Silves. Originalmente construída como uma mesquita, foi convertida numa Catedral após a Reconquista Cristã no Algarve. A Catedral tem uma impressionante fachada com uma mistura de paredes brancas rebocadas a arenito vermelho, o mesmo material usado nas paredes do castelo. O interior é impressionante, pois combina arquitetura gótica, medieval e barroca, tudo sob o mesmo teto.

Saí da Catedral e caminhei até ao Museu Arqueológico de Silves. O Museu apresenta uma incrível coleção de achados arqueológicos que foram descobertos em toda a região, desde a pré-história até ao século XVII. A sua principal atração é um grande poço mourisco que fica bem no meio do Museu. Mas existem outros itens que vale a pena ver, incluindo cerâmicas do período islâmico e trilhas funerárias da Idade do Ferro.

Após a visita, fui até à beira do rio, e fiz uma rápida paragem perto da Cruz de Portugal, uma bela cruz gótica feita de calcário, que está em Silves há centenas de anos e é agora considerada um monumento nacional.

Depois, passei pelo Mercado Municipal de Silves. Dentro do mercado, encontrei algumas bancas de comida que vendiam peixe, legumes e muita fruta. A visão de tantos ingredientes deliciosos estava a começar a deixar-me com fome e decidi ir almoçar.

Apenas a alguns passos do Mercado de Silves, existe um dos melhores restaurantes de marisco do Algarve, a Marisqueira Rui. Aqui, pode saborear uma variedade de peixes e frutos do mar frescos, incluindo camarão, mariscos, lagosta, caranguejo e muito mais. Pedi uma sopa de peixe para entrada e camarão com alho como prato principal.

Durante a tarde, marquei uma visita a uma adega de Silves, o Convento do Paraíso. Situado numa antiga quinta chamada Quinta de Mata Mouros, o Convento do Paraíso utiliza métodos tradicionais e modernos para produzir o seu delicioso vinho local. A vinha está espalhada por 12 hectares e oferece uma vista incrível sobre a cidade de Silves.

Depois da minha experiência de degustação de vinhos, fui ao Amendoeira Golf Resort em Alcantarilha para uma pequena aula de golfe. O resort tem três campos de golfe notáveis, um deles foi desenhado por Sir Nick Faldo, um golfista inglês profissional que já foi o número 1 no Ranking Oficial de Golfe.

Após a minha aula de golfe, dirigi-me até Armação de Pêra para explorar as praias de Silves. Em primeiro lugar, parei na Praia de Armação de Pêra, uma pequena praia rodeada por modernos edifícios de apartamentos e um passeio repleto de animados bares e restaurantes. Segui no passeio e parei na Fortaleza de Armação de Pêra. Anteriormente usada para proteger a cidade dos ataques de piratas, hoje a fortaleza é um ótimo lugar para admirar a vista para o mar sem pôr os pés na areia.

Olhando à minha volta, também pude ver as dunas da Praia Grande, uma das maiores praias do Algarve. A praia é banhada por dois impressionantes caudais de água, a Ribeira de Alcantarilha a oeste e a Lagoa dos Salgados a nascente. Fiquei na fortaleza um pouco mais e observei o pôr do sol, antes de ir para o hotel.

Desta vez, a Iberian Escapes reservou-me um quarto no Vila Vita Parc, um hotel de luxo que fica numa falésia sobre o Atlântico. O hotel tem tudo o que você pode imaginar, incluindo campos de ténis, piscinas, jardins tropicais, mini-golfe e até um restaurante com 2 Estrelas Michelin chamado Ocean. Logo após o check-in, fui ao restaurante para jantar. O menu foi preparado pelo chef austríaco Hans Neuner, que foi considerado o Chef do Ano de 2009 e 2012. Tinha uma mesa num local privilegiado perto da janela, o que me permitiu apreciar a vista para o mar, enquanto desfrutava da minha deliciosa refeição de quatro pratos.

No final da refeição, estava disposto a provar tudo de novo, mas estava a ficar tarde, então, logo após a sobremesa, fui direto para o quarto.

Mapa do percurso do 1º Dia do tour em Silves





2º Dia

Estamos no Tour de 2 dias em Silves – 2º dia e 12º dia do nosso Tour no Algarve. Desde a costa de Armação de Pêra até às montanhas da Serra do Caldeirão a norte, há muito para explorar em Silves.

Depois de ver as praias, estava animado para descobrir o outro lado da cidade. A Barragem do Arade foi a primeira paragem do dia. Mais do que um reservatório de água, a barragem também é um ótimo miradouro, onde pode admirar a paisagem rural ao seu redor.

A seguir, prossegui para São Bartolomeu de Messines, uma pequena aldeia no Nordeste de Silves, que faz fronteira com a região do Alentejo. É difícil imaginar que o vasto cenário verde de Messines esteja apenas a meia hora de distância do oceano. Ao aproximar-me da aldeia, vi uma série de pequenas capelas, uma após a outra, exibindo o mesmo tipo de fachada que a Catedral de Silves, com as suas paredes vermelhas e brancas. Comecei o meu passeio no Santuário de Nossa Senhora da Saúde, depois caminhei até à Capela de São Sebastião e terminei perto da praça com a igreja principal de São Bartolomeu de Messines.

Perto da igreja, existem alguns cafés e restaurantes, embora a maioria deles não pareça estar aberta ao domingo. Andei um pouco mais e deparei-me com o Restaurante João de Deus, onde acabei por almoçar.

Depois do almoço, voltei para a estrada e fui para outra aldeia chamada São Marcos da Serra. No caminho, parei na Barragem do Funcho, e mais uma vez pude observar as vistas das montanhas próximas. Cheguei a São Marcos da Serra pouco antes do pôr do sol. As ruas estavam vazias e só passei por uma ou duas pessoas antes de chegar à igreja. Ao contrário das capelas de São Bartolomeu de Messines, a Igreja de São Marcos da Serra foi totalmente pintada de branco com apenas alguns detalhes cinzentos. O relógio do lado de fora marcava a hora e o sino acima estava prestes a tocar as 6 horas, foi quando cheguei à entrada da igreja.

Ao longo da aldeia, vi muitas chaminés decoradas em cima dos telhados de terracota, mas foi perto da igreja que vi a maior delas. A chaminé é uma memória da ocupação mourisca no Algarve e uma peça notável de arquitetura que mereçe  fazer parte do álbum de fotos.

Encontrei-me cercado por serras cheias de sobreiros e medronheiros, a árvore que dá o medronho, usado no tradicional luar do Algarve, um espetáculo que eu nunca esperei encontrar, numa região conhecida pelas suas praias.

Bem em frente à igreja, deparei-me com um bonito prédio vermelho-escuro onde se encontra um dos poucos restaurantes da cidade, “Os Duartes”. Fiz uma rápida refeição antes de me dirigir novamente para a costa.

Quando cheguei à Vila Vita Parc, as colinas tinham ficado para trás, substituídas por penhascos rochosos e a brisa do oceano.

Comecei a fazer as minhas malas, mais uma vez e preparei-me para a próxima viagem a Lagoa.

Mapa do percurso do 2º Dia do tour de Silves





Inicio do Tour no Algarve | Dia anterior do Tour no AlgarveTour no Algarve - 13º Dia